As novatas não tiveram chance na ABC. Quatro das séries estreantes foram encerradas antes do fim da primeira temporada, sem dó, nem piedade. Vejamos:

– GCB (Good Christian Bells):
apesar de ficar sabendo por colegas de ofício (a.k.a. outros blogueiros de séries) que a série era divertida, GCB falhou na sua tentativa de ser uma espécie de “novo Desperate Housewives à moda texana”, onde nem o nome de Kristin Chenoweth conseguiu atrair a atenção do público (aliás, ela precisa tomar cuidado; está se tornando “a atriz de uma cara só, que só sabe fazer um personagem”). No mês de abril, registrou baixas audiências, e aí… cancelamento na certa.

– Pan Am: essa já estava cancelada desde janeiro. Só faltava o anúncio oficial, que estranhamente, só veio agora. Pan Am não era ruim, mas competia com tubarões no domingo à noite, como The Good Wife (CBS), o Sunday Night Football (NBC) e as séries da TV paga. Resultado: média de 3 milhões de espectadores. Sua demo não era ruim (média de 2.6), mas para a ABC, gastar US$ 10 milhões no piloto para ter um retorno tão baixo junto ao público foi decisivo para o seu cancelamento.

– The River:
o drama de atividades paranormais de Steven Spielberg falhou de forma patética na tentativa de colocar medo na tela dos norte-americanos. Com uma média de 3,9 milhões de heróis que viram essa naba (demo de 1.4), tomou porrada de todos os outros canais nas noites de terça-feira. Não foi feito para dar certo.

– Missing: é outra que, apesar de receber alguns elogios (principalmente por causa da performance de Ashley Judd), dificilmente iria vingar. O piloto já tinha passado por mudanças, e ao longo de 10 episódios, não foi boa o suficiente para convencer o público que realmente era necessário mais uma série policial-ação-investigativa.

Via The Hollywood Reporter