0126

No cenário atual das séries, poucas produções estão se destacando na audiência e na qualidade. Toda semana temos pelo menos uma série nova anunciada, outra estreando e um cancelamento confirmado. Não importa mais se é mid, summer ou fall season. As emissoras estão com dificuldades de manter os seriados no ar, e o público com dificuldade de realmente acompanhar essas novas séries.

Ao analisarmos as séries de comédia, a situação parece está um pouco pior. A NBC, que era a casa das grandes comédias, está com o seu bloco cômico das quintas-feiras praticamente extinto. Nesse dia, só Parks and recreation tem uma situação “confortável” para a renovação, mesmo com uma média de 3.15 milhões de espectadores.  Go On, que era a grande aposta do canal (estreando com 16,10 milhões de espectadores), hoje está com a audiência na casa dos 3 milhões.

E isso é muito preocupante para o canal e decepcionante para o público. Em um passado não muito distante, NBC  lançou comédias que entraram para a cultura pop, fazendo os seriados serem lembrados até para quem nunca os assistiu. Hoje, a emissora só consegue ganhar (e mesmo assim com pouca diferença) da CW, emissora “café com leite” dos Estados Unidos.

 

will-and-grace-series-finale02

Will and Grace: será que os bons tempos não voltam mais?

A NBC talvez nunca mais retorne aos tempos de ouro em que ela exibia Cheers, Seinfild, Mad About You e Will and Grace. Os tempos são outros e atualmente nas quintas-feiras as comédias de maior impacto são The Big Bang Theory e Two and Half Men, ambas da CBS, e nas últimas semanas a Fox decidiu exibir New Girl e The Mind Project nas quintas, e conseguiram números melhores que a NBC. O canal do pavão agora disputa as últimas posições da audiência, com a CW e suas comédias com vampiros e bestas-feras (calma,fãs… é apenas uma ironia, uma pequena piadinha…).

Mas nessa última semana, algo me assustou. A esperança que nasceu nos fãs com a “possível” volta de Friends. “Notícias” que se espalharam pelas redes sociais, comemorações diversas, muitos que suspiraram aliviados e foram rever a série. Porém, a notícia da suposta décima primeira temporada era falsa, e a criadora da série, Marta Kauffman, confirmou que o retorno não vai acontecer.

Por mais que eu ame Friends, um retorno é inviável. Não que a NBC não precise, mas pela própria disponibilidade do elenco, seria necessário cancelar as séries em que os astros de Friends estão comprometidos hoje, além de arrumar um tempo na agenda de Jennifer Aniston, que atualmente está com quatro filmes em produção. E pagar muito, mais muito mesmo por episódio ao elenco para a produção ir ao ar.

Mas o que realmente me chama atenção é a repercussão que essa notícia causou nas pessoas. Parece que as séries atuais estão em uma crise tão profunda de qualidade que o espectador está descrente com o que vê hoje. Tanto, que necessitam do retorno de uma série que exibiu seu último episódio inédito em 2004. Até quando essa necessidade da volta de Friends é apenas nostalgia?  Ou essa necessidade é carência de novas boas comédias no ar?