OrphanBlack

Depois de muito ler sobre a série, e muitas indicações de fãs de séries na internet, eu decidi me permitir a ver o episódio piloto de Orphan Black (BBC America). No final do episódio, você não só fica clamando por mais, mas também se pergunta “por que eu não comecei a ver essa série antes?”. Pois é justamente sobre essa boa sensação de descobrir uma nova série que vamos falar hoje.

Todo fã de séries que se preze tem como regra básica não ter muitos preconceitos na hora de assistir um piloto, ou de ouvir recomendações para que vejam uma determinada série. Afinal de contas, se ver séries é um prazer (ou vício) na sua vida, você precisa ter a consciência que é preciso experimentar de tudo, até mesmo para refinar o seu gosto ou paladar. Mesmo que apareçam séries como The Neighbors em sua vida.

Com esses quase cinco anos de SpinOff TV Series, uma das coisas que aprendi a fazer é abrir os olhos e ouvidos para sugestões de novas séries. Tudo bem, eu vou ver alguns promos e achar que a série é, simplesmente, uma grande porcaria (um abraço para Reign, The 100, We Are Men…). E é meu direito fazer isso: afinal de contas, fui eu que testemunhei três piadas com a mamãe que peida em cinco minutos (abraço, The Millers).

Porém, não posso me recusar a ver esses pilotos. Vai que o melhor não foi mostrado por algum motivo, e que o episódio me surpreende de alguma forma? O “vai que” vale muito nessas horas.

A mesma regra vale para as recomendações. Eu bem sei que gosto não se discute, e cada um tem a sua forma de ver as coisas. Normalmente as pessoas não gostam que outras opinem sobre os seus gostos e preferências sem pedir tais sugestões, mas nesse caso (e principalmente para quem escreve sobre isso todos os dias), é fundamental ter olhos e ouvidos para essas sugestões. Até porque você pode descobrir novas e ótimas produções, que podem acrescentar ainda mais nas suas preferências em séries.

Isso aconteceu recentemente comigo com Orphan Black. Eu realmente não estava muito motivado a começar a ver a série, mas com tantas recomendações na internet e as indicações que a produção começa a receber em premiações importantes, eu não poderia me recusar a ver ao menos o piloto. E não me arrependi em nada. Uma das novas séries que mais me surpreenderam pelo cuidado da produção, e pela inteligência da proposta apresentada.

Em um exemplo mais “mundano” (por assim dizer), também recebi recentemente a dica de Men at Work (TBS), uma sitcom que aborda o mundo masculino de forma leve e divertida. Gostei da proposta, e estou seguindo em frente, sem arrependimentos. Não é a melhor série do mundo, mas diverte pela espontaneidade.

Descrevo esse momento que você diz para você mesmo “e não é que essa série é boa?” algo similar ao encontrar uma nota de R$ 100 no meio da rua. Não acontece todo dia, e quando acontece, você se empolga. É claro que mais para frente você pode descobrir que essa nota é falsa (ou que a série não é lá tão boa assim). Mas pelo menos essa motivação inicial para seguir em frente está garantida. Até porque está cada vez mais difícil achar séries boas na programação ultimamente.