E Aí... comeu?

Eu podia perfeitamente ter esperado mais tempo para escrever sobre E Aí… Comeu?. Mas precisava cumprir com meu compromisso cívico com vocês.

A tentativa de fazer comédia com a visão masculina e bem humorada da crise de meia idade na perspectiva de três homens com vidas diferentes não diz a que veio.

Assim como o filme, que na época achei bem mais ou menos.

 

Eu não como!

E Aí… Comeu? é baseada no texto da peça de Marcelo Rubens Paiva, e mostra as histórias de vidas amorosas de três homens de meia idade, que vivem fases diferentes de suas vidas.

Temos aqui o solteiro (Bruno Mazzeo), o casado (Marcos Palmeira) e o recém divorciado (Emilio Orciollo Netto). São amigos, cada um personalidades e experiências de vida diferentes, mas que acabam se entendendo sempre.

Compartilham suas vivências com as mulheres e, de tempos em tempos, suas conversas sempre caem na mesma pergunta…

E Aí… Comeu?

Pode parecer meio besta (de fato, é um pouco). Mas é o elo de ligação dos três.

A ponto de um deles (o recém divorciado) sugerir aos outros dois a inauguração de um hostel… para pegar mulher!

Não é tão do nada quanto parece, mas é desse jeito que eu estou te contando.

 

E continuo não comendo!

 

e-ai-comeu-multishow

 

E Aí… Comeu? segue a estrutura básica já vista no filme. Tem os mesmos personagens centrais, logo, é mais do que esperado que essa narrativa se mantivesse.

Tudo gira em torno dos três, o que acaba sendo um pouco cansativo ao longo da série. As situações propostas são inusitadas, mas não são necessariamente engraçadas.

Tal e como acontece no filme.

A tendência é que você identifique as ironias propostas pelo roteiro final de Bruno Mazzeo, mas não é algo que você efetivamente se apega logo de cara.

A série tem um tom mais adulto do que as demais comédias do Multishow, e algumas pessoas poderão achar que o texto tem um tom machista.

Mas acho isso um exagero que não tem muita razão de ser.

Podemos simplesmente resumir que E Aí… Comeu? é fraca, e tem que melhorar um bocado para vingar. E nada mais.