Estamos na semana do Superbowl, a final do campeonato de futebol americano da NFL. Logo, estamos na semana da maior audiência do ano na TV dos EUA. Porém, ao longo dessa Fall Season, tivemos diversas quebras de recordes de audiência ligados ao esporte #1 da América, e esse post trata de explicar por que os norte-americanos resolveram assistir mais aos jogos na temporada 2010-2011. Bom, pra começar, você precisa saber de três coisas: tecnologia, fantasy games e Michael Vick.

Das 20 maiores audiências desta temporada nos EUA, 18 são jogos da NFL. Com isso, executivos da CBS, NBC e Fox sorriram de orelha a orelha com os números alcançados. Tudo bem, o futebol americano sempre registrou grandes audiências (e, por isso, os espaços de comercial do Superbowl são disputados a tapa), mas nesta temporada, todos tiveram aumentos de audiência em relação às temporadas anteriores.

O jogo de domingo à noite da NBC teve aumento de 10%, os jogos das tardes de domingo da CBS também subiram em 10%, os jogos exibidos pela Fox tiveram 2% a mais de audiência, e o Monday Night Footbal da ESPN se mantém consistente, roubando audiência dos outros canais, e quebrando os recordes de audiência da temporada anterior. Nesta temporada, o Sunday Night Football da NBC foi o evento mais visto do horário nobre da temporada, destronando gigantes como o Dancing With The Stars e American Idol.

Na TV a cabo, não é diferente: as 13 maiores audiências da TV a Cabo da temporada pertencem ao Monday Night Football da ESPN, conquistando principalmente o público-alvo de jovens adultos (entre 16 e 29 anos), só perdendo para o Dancing With The Stars, da ABC, na média geral. E o mais inusitado: mais mulheres estão assistindo futebol americano nos EUA, principalmente nos jogos de domingo da NBC.

Bom, sem mais delongas, vamos aos três motivos que tornam o futebol americano o campeão da TV nos EUA.

1) Personalidades do esporte

Dois dos grandes nomes da NFL foram o foco das atenções por motivos diferentes. Brett Favre, quarterback (armador) do Minnessota Vikings teve um término de carreira cheio de controvérsias, pois foi acusado de assediar sexualmente uma repórter, enviando mensagens de voz insinuantes e até fotos de partes fálicas de seu corpo para o celular da assediada. Já Michael Vick, quarterback do Philadelphia Eagels retornava aos campos depois de passar um bom período na cadeia, por gerenciar campeonatos de apostas de brigas de cachorro. Vick teve todos os focos, com uma boa temporada, em busca de uma redenção. Os dois casos chamaram a atenção de fãs e não-fãs da NFL.

2) Tecnologia

As transmissões em alta definição se fizeram efetivamente presentes nesta temporada, e tornaram o jogo mais vivo do que nunca. As imagens em alta definição mostravam detalhes que transportaram o telespectador para dentro do campo. Além disso, as emissoras investiram mais em câmeras especiais e ângulos de transmissão diferenciados, além de todos os recursos de estatísticas que o usuário recebe do sofá, através do receptor de TV por assinatura. E isso porque eu nem falei que a ESPN começou as transmissões de seus jogos em 3D.

3) Fantasy Football

O terceiro motivo para o aumento de audiência foram os fantasy games, jogos virtuais onde o internauta escolhe o time que quer jogar, e acompanha o desempenho dos jogadores escolhidos na rodada. Segundo o Los Angeles Times, mais de 29 milhões de norte-americanos jogam em ligas virtuais. Novamente, fãs e não-fãs do esporte aderiram à brincadeira, e a audiência aumentou ainda mais por causa desse fenômeno.

Isso tudo, sem falar que os principais astros do esporte já atraem muita audiência, como Peyton Manning, Drew Brees, Tom Brady, entre outros.

Portanto, você pode até não gostar de futebol americano. Pode não entender nada sobre o esporte. Mas não pode negar que a NFL, para a TV e para os telespectadores dos EUA, é mais importante que a sua série preferida. Mas isso, só até o final do Superbowl. Depois disso, a sua série volta a reinar no coração dos norte-americanos.

Leia mais sobre o assunto